Mercado

Resultados da indústria automobilística em maio

Apenas em maio foram comercializadas 201,9 mil unidades, resultado 3,2% superior no comparativo com o mesmo período do ano passado, quando 195,6 mil unidades foram negociadas. Contra abril deste ano, a queda foi de 7,1% em relação às 217,3 mil unidades vendidas em abril. Para Antonio Megale, presidente da Anfavea, as paralisações do fim do mês impactaram o resultado de maio:

“A greve dos caminhoneiros dificultou o abastecimento de peças para a produção e de transporte de veículos para as concessionárias. Além disso, trabalhadores e consumidores tiveram dificuldade com abastecimento de combustível, interferindo nos deslocamentos até a rede. Não fosse este cenário, certamente teríamos registrado maior crescimento em maio”.

As exportações no quinto mês de 2018 também foram menores: 60,7 mil unidades deixaram as fronteiras brasileiras, baixa de 17% ante as 73,2 mil de abril e de 17,3% sobre as 73,4 mil de maio do ano passado.

Nos cinco meses já transcorridos do ano, 314,1 mil unidades foram exportadas, crescimento de 1,6% quando analisado com as 309,1 mil de 2017. A produção de autoveículos em maio foi afetada mais intensamente. As 212,3 mil unidades representam decréscimo de 20,2% quando comparado com as 266,1 mil de abril e recuo de 15,3% se defrontado com as 250,7 mil unidades de maio do ano passado. No acumulado, contudo, o registro é de alta de 12,1%: 1,17 milhão de unidades este ano e 1,05 milhão em 2017.

Megale reiterou, em números, o impacto das manifestações no desempenho mensal: “A indústria automobilística deixou de produzir entre 70 e 80 mil veículos, vender cerca de 25 mil e exportar algo próximo a 15 mil unidades”.

Caminhões e ônibus

As vendas de caminhões em maio foram de 5,6 mil unidades, 8,7% a menos do que as 6,2 mil de abril e crescimento de 37,1% se comparado com as 4,1 mil de maio de 2017. No acumulado de 2018, o licenciamento soma 26,3 mil unidades, elevação de 52,7% frente as 17,2 mil do ano passado.

As exportações no último mês ficaram em 1,8 mil unidades – diminuição de 34,8% sobre as 2,7 mil de abril e de 29,6% em relação às 2,5 mil de maio do ano passado.

Nos meses já transcorridos do ano, 11,8 mil caminhões deixaram as fronteiras, crescimento de 9,2% ante as 10,8 mil de 2017.

Os fabricantes de caminhões produziram no quinto mês do ano 7,4 mil unidades, retração de 18,4% se comparado com as 9,1 mil de abril.