Carro do ano

VW Polo eleito Carro do Ano

O Novo Polo foi lançado no Brasil após quatro meses do lançamento na Alemanha

Desde 1966, o prêmio Carro do Ano, a mais importante premiação da indústria automobilística nacional, é concedido pela revista  Autoesporte aos automóveis e comerciais leves que no ano se destacaram por fatores como tecnologia, design, segurança, atualidade do projeto, eficiência energética e preço. Também são premiados os motores mais modernos lançados pelas fabricantes no período.

O Volkswagen Polo foi eleito o Carro do Ano 2018. O anúncio foi feito na noite do dia 11 de dezembro em um evento em São Paulo. A nova geração do hatch, lançada há poucos meses no mercado, foi eleita por um júri de 28 jornalistas de todo o país a partir de uma lista de cinco finalistas, que também contava com Fiat Argo, Hyundai Creta, JAC T40 e Renault Kwid.

Os vencedores dos prêmios do Carro do Ano são decididos por um júri formado por jornalistas especializados de todo o país, incluindo integrantes da redação de Autoesporte, a partir da lista de finalistas.

Os vencedores não são conhecidos por nenhum votante, nem mesmo pela comissão organizadora, sendo revelados apenas pela empresa auditora na noite de premiação.

O prêmio existe há 51 anos, desde 1966, dois anos após a criação da revista Autoesporte. É a premiação mais antiga do setor automobilístico brasileiro.

O primeiro Carro do Ano não foi um carro, foi uma picape, mais precisamente, a Picape Willys. A Chevrolet foi a marca que mais ganhou, 14 vezes. Alguns modelos ganharam o título mais de uma vez. Entre os modelos eleitos, quatro foram tricampeões: Ford Corcel (1969, 1973 e 1979), Chevrolet Monza (1983, 1987 e 1988), Fiat Uno (1985, 1992 e 2011) e Fiat Palio (2001, 2004 e 2012).

VW Polo

Depois de quatro meses que a nova geração do Volkswagen Polo foi apresentada na Alemanha, a montadora o lançou no Brasil em outubro, e em dezembro já levou o título de Carro do Ano.  As vendas começaram no Brasil com o hatch no final de outubro.

Com a chegada do Polo, a Volkswagen dá início a uma estratégia de diminuir as versões de seus carros, especialmente dos hatches. Outra novidade fica por conta dos nomes das versões, que começarão a ser revistos.

No caso do Polo, as duas versões mais baratas serão chamadas apenas de Polo 1.0 e Polo 1.6 MSI, respectivamente. Já os mais caros serão Polo 200 TSI Comfortline e 200 TSI Highline. Elas são equipadas com motor 1.0 turbo, mas a montadora substituirá o termo “1.0” pelo “200”, que remete aos 200 Nm de torque que o motor produz. É o vale-tudo para evitar ser associado a um carro de entrada, de baixa potência.

Motores e câmbios

O Polo de entrada tem motor 1.0 aspirado de 84 cv e 10,4 kgfm. Já o intermediário ganha motor 1.6 MSI também aspirado, mas com 117 cv e 16,5 kgfm. O câmbio destes dois modelos é sempre manual de cinco velocidades.

Já as duas versões mais caras do hatch ganham o motor 1.0 TSI que equipa o compacto up!.

Mas, ele foi retrabalhado pela engenharia da Volkswagen para entregar melhor desempenho. São 128 cv e 20,4 kgfm, segundo a montadora. No Polo turbo, o câmbio manual é eliminado e o carro passa a contar sempre com uma transmissão automática de seis marchas.

Os veículos que concorrem ao prêmio Carro do Ano devem ter uma versão de entrada que custe até R$ 100 mil.