TRF-1 confirma decisão que afastou acusação de formação de cartel no setor cegonheiro, mantendo decisão do CADE por unanimidade.

.

Na segunda-feira, 22 de janeiro, o TRF-1 decidiu por unanimidade (3 X 0) manter o arquivamento do processo que acusava de cartel os Cegonheiros e empresas do setor, confirmandoa decisão do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) de 2007, também por unanimidade.

.

O advogado do Sindicato Nacional dos Cegonheiros(SINACEG), Laércio Farina, comenta a decisão: “Este é um processo de mais de uma década, que tentou rotular uma categoria profissional, em especial os cegonheiros que há mais de 50 anos transportam os carros novos das montadoras estabelecidas naquela região, de infratores. O reconhecimento no TRF- 1 por unanimidade em 2018, assim como aconteceu no CADE em 2007, comprova que os profissionais cegonheiros associados ao SINACEG não promovem e nem participam de cartel. Esta é uma vitória expressiva da categoria e a Justiça reconhece a idoneidade de quemmuito sofreu com tal rótulo no mercado,com o agravante da crise econômica”.

.

A decisão do TRF-1 deve ser publicada nos próximos dias (número do processo – 2008.34.00.033773-0), mas desde já, os cegonheiros, associados ao SINACEG, ficam aliviados com a decisão que afasta a acusação de suposto cartel. “Somos trabalhadores. Somos caminhoneiros especializados no transporte de veículos, que desenvolvem um trabalho itinerante em todo território nacional. Estamos à mercê de estradas ruins, crise econômica, falta de segurança, ficamos semanas longe de casa e não merecemos ser taxados como bandidos. Pode não ser o fim da guerra, mas foi mais uma batalha ganha, e por unanimidade”, desabafa Jaime Ferreira dos Santos, presidente do SINACEG.